am.abra

O Presidente Fábio Cunha pediu uma flexibilização mais rápida tendo em vista que a proposta do governo é que em 7 dias a Abrasel elabore propostas para análise

A reunião entre a Abrasel e o Governo do Estado do Amazonas foi extensa, durou por cerca de 2 horas. Os membros do conselho da Abrasel no Amazonas junto ao presidente Fábio Cunha, defenderam a flexibilização de todos os pontos do decreto que atingem a classe da alimentação fora do lar e foi argumentado de maneira incisiva sobre as dificuldades financeiras e operacionais que já enfrentaram mesmo antes desse decreto. Na ocasião o presidente Fábio começou defendendo o retorno imediato das atividades dos bares e pediu uma flexibilização em um tempo menor do que sugere o governado, que é de 7 dias para uma nova análise.

Todos os estabelecimentos associados a Abrasel no Amazonas estão seguindo rigorosamente as normas impostas pelos órgãos responsáveis e isso acarretou um gasto para os empresários se padronizarem a essa realidade. Em Manaus existiam mais de 13mil, CNPJ’s, ativos que empregavam cerca de 80 mil pessoas, mas infelizmente com a pandemia muitos estabelecimentos fora do lar, tiveram que fechar suas portas e cerca de 25mil empregos foram sacrificados

Os associados Abrasel tem o comprometimento com a regras perante a época com o objetivo maior de manter a organização e o local seguro com responsabilidade para seus clientes no geral. Os pontos abordados a equipe do governo foram:

1- Flexibilização do horário de funcionamento e limite de ocupação, permitindo atender clientes em locais legalizados e que seguem os protocolos de segurança até de madrugada, evitando assim que precisem buscar locais clandestinos para continuar se divertindo;
2- Firmar parceria com bandas e artistas para que só se apresentem em locais legalizados e que seguem os protocolos, garantindo espaço para tocarem, mas também excluindo-os da programação em caso de descumprimento dessa norma;
3- Elaborar os novos protocolos em parceria com a Abrasel, que assume o compromisso de divulgar e incentivar seu cumprimento entre os associados;
4- Realizar abordagens mais discretas nos locais fiscalizados, sem constranger desnecessariamente quem está trabalhando, os clientes e até a vizinhança;
5- Intensificar fiscalização nos eventos clandestinos, com blitz, multas, apreensão de equipamentos e fechamento do local.

Apesar de todo o detalhamento do comprometimento do empresários com a saúde da população de Manaus, o governador não recuou da publicação do decreto na data de hoje e sugeriu que em 7 ou 10 dias a Abrasel, em conjunto com os secretários do Governo, elaborem propostas de flexibilização para sua análise. Mesmo assim os representantes da Abrasel argumentaram que esse prazo é muito longo e se dispuseram a apresentar até terça-feira as referidas propostas.

Na reunião estava presente o Governador Wilson Lima, secretários que compõem a CIF (Central Integrada de Fiscalização), Srs. Jório (Desenvolvimento Econômico), Coronel Bonates (Segurança) e Máximo (Defesa Civil) e também a Deputada Alessandra Campelo.

Pela Abrasel estavam Fábio Cunha (presidente Abrasel), Viana (Pão e Cia), Rodrigo Zamperlini (Mercato Brazil), Raul Andrade (Grupo Alemã), Rogério Perdiz (Grupo Dedé), Jian (Búfalo), Manoel (Caritó). Também estavam DJ Evandro Junior e Gerson (Associação de eventos).

Comentários